quinta-feira, 24 de maio de 2012

Nas Sombras, por Jeri Smith-Ready

 

Sempre tive uma quedinha uma quedinha por histórias de fantasmas. Não tanto as de terror; gosto bem mais das que o fantasma é um personagem ativo (e na maior parte das vezes bom) na história, como na série A Mediadora ou no filme Sexto Sentido.

No entanto, ao ler a sinopse de Nas Sombras, fiquei achando que seria um livro bobinho, focando só no triângulo amoroso Logan-Aura-Zach.

Fico extremamente feliz em dizer o quão enganada estava! O triângulo amoroso existe, sim, porém a história é tão mais que isso! Conforme lia, meu cérebro foi parar no teto diversas vezes tamanhas as surpresas.

 

“O amor os uniu. E a morte não vai separá-los.”

 

Já pensou em morar em uma sociedade em que todos os nascidos a partir de uma determinada data conseguissem ver e falar com fantasmas, tudo por causa de um evento chamado de Passagem, para o qual ninguém tem uma explicação?

 

É nessa realidade que vive Aura, uma adolescente de dezesseis anos nascida no primeiro minuto da Passagem, portanto uma das primeiras da sua geração a poder se comunicar com os fantasmas.

 

Como muitos de seus amigos, a jovem despreza esse dom e preferiria muito mais ser alguém que nasceu antes da Passagem, assim não gastaria as preciosas horas de sua vida transmitindo para os vivos aquilo que os espectros querem ao invés de passar tempo com o namorado, Logan, e a banda dele.

 

No entanto, esse dom vem bem a calhar quando seu namorado morre de overdose e volta para assombrá-la e ficar com ela como se nunca houvesse partido, e na forma e cor arroxeada dos espectros de que Aura tanto foge.

 

Por volta dessa época, chega ao colégio da garota um jovem de intercâmbio da Escócia, chamado Zachary, e ele é designado para ajudar Aura em sua tese de História. Isso não a deixa nada satisfeita, mas acha que pode suportar a situação, ainda mais com o sotaque sexy de Zach.

 

O que Aura não contou para ninguém é a verdadeira natureza de sua pesquisa, cuja uma das finalidades é descobrir quem é seu pai e por que sua mãe sempre fizera tanto mistério dele. A jovem só não esperava que junto com Zachary viessem revelações estrondosas a seu respeito e ao da Passagem.

 

Agora cabe à Aura lidar com toda essa situação além de tentar descobrir, sem que alguém o faça antes, as circunstâncias especiais de seu nascimento e da Passagem.

 

Jeri Smith-Ready conseguiu criar uma trama sobre fantasmas diferente de qualquer outra: não são apenas uns poucos indivíduos especiais (que a sociedade normalmente consideraria loucos) que conseguem ver os espectros, mas todos nascidos a partir da Passagem, um evento por si só misterioso ao extremo.

 

Aura a princípio se parece com a maioria das personagens adolescentes, ainda mais quando Zachary entra na equação em que antes só havia ela e Logan. Porém vamos sendo surpreendidos por suas ações cada vez mais até que chega a um ponto em que nosso cérebro vai parar no teto.

 

O primeiro livro de uma trilogia, Nas Sombras supera todas as expectativas de forma incrível e inovativa, que nos deixa com um gostinho de “quero mais!”.

 

A narrativa é ótima e tem sua ação movimentada não tanto pelo triângulo amoroso, mas pelo mistério por trás da Passagem e de Aura e o suspense do que acontecerá a seguir. Super recomendado! A história realmente promete!

 

 

Nas Sombras

Shade

Jeri Smith-Ready

Galera Record

Páginas: 336

Tradução: Rodrigo Abreu

Coleção: Shade – N. 01

ISBN: 978-85-01-08821-5